ESTAMOS VIVENDO, OU NÃO, UM GOVERNO TOTALITÁRIO NO DF?



Lendo artigos e comentários das redes sociais senti a indignação das pessoas com o governo local, e a palavra totalitário foi usada muitas vezes. Num pais de analfabetos de conceitos fiquei pensando se estaríamos mesmo andando rumo ao totalitarismo, fato historicamente impossível, fora da realidade, visto que o projeto de poder do PT, que suspirava por isso, faliu e todos estamos pagando por esse sonho insano.
Mas como aprendi, com minha mãe, que a voz do povo é a voz de Deus e Deus não mente resolvi ir mais a fundo no assunto.

Vejamos, segundo a WIKPÉDIA:

O Totalitarismo é uma forma de organização do Estado, em que o poder se concentra sob o domínio de uma elite aristocrata. > Realmente temos uma elite aristocrata no poder.

O poder se concentra organizado sob a forma de partido único, montado por um pequeno grupo de pessoas. A base que forma esse partido é a grande parcela da população (ou seja, as massas), porém o poder de decisão e de deliberação fica restrito somente aos dirigentes do partido. >Apesar do estado democrático que existe no país, o poder no DF não é exercido em consonância com os demais partidos, não existe nem respeito ao legislativo e nem independência dos poderes.

No totalitarismo, alguns líderes do partido exercem funções nos altos escalões do governo; isso faz transparecer para a sociedade que o partido é o Estado. Esse fato entre a organização partidária e a administração do Estado somente se torna possível a partir do momento em que o pequeno grupo no poder acaba de forma coercitiva com as liberdades individuais e coletivas, instalando um regime de terror total contra a nação. A todo momento sentimos a coerção do estado: no afastamento e eleição da mesa Diretora, nas CPIs, no envio de leis e decretos importantes governamentais sem o debate com a comunidade (não falei sociedade organizada que é montada pelo governo), nas ações da Agefiz derrubando casas sem um programa habitacional que pudesse corrigir os próprios desmandos de governos que permitiram, incentivaram e consolidaram os núcleos habitacionais para quem vive no DF e não tinha onde morar,


Portanto, o Estado totalitário é um Estado policial, governado pela violência física e psicológica. > Este fato não é negado por ninguém que vive no DF e acompanha as notícias do que está acontecendo na política local. Como exemplo temos as derrubadas no DF em nome de um “pseudo ordenamento territorial” que tem trazido grande sofrimento e instabilidade, gerando danos físicos, morais e psíquicos aos habitantes destas regiões.

O Estado exerce uma vigilância constante e permanente sobre a vida da população. No totalitarismo, o Estado controla até a vida pessoal e familiar dos indivíduos, isto é, um caso extremo e radical de autoritarismo. Fato já comprovado com as escutas instaladas no Buriti e na CLDF.

A principal característica do totalitarismo é a utilização permanente e assídua dos meios de comunicação (televisão, rádios) para difusão da ideologia do regime totalitário. As propagandas veiculadas pelo governo visavam enaltecer o governo e exaltar o líder totalitário.  Isto nem precisamos falar, todos sabem.  

No século XX, como já elucidado, os principais exemplos de Estados totalitários foram a Alemanha nazista, a Itália fascista e a Rússia stalinista.
Em pleno século XXI, no BRASIL, estamos vivenciando, ou não, o totalitarismo no Distrito Federal? Com a palavra o eleitor.


MClnetto

Os comentários grifados são nossos.